top of page

Programa FemLeader – 10º. Encontro

Atualizado: 31 de jul. de 2023


Hoje foi o nosso último encontro oficial do Programa FemLeader onde vamos finalizar o conteúdo do Módulo 3 (Superar os Desafios) e também a segunda parte do Módulo 4 (Prosperar ao darmos as mãos), só lembrando que, como “dever de casa” a Angela nos sugeriu ver o forte, emocionante e inspirador vídeo da Lisa Nichols. Depois me conta o que achou, ok?


Continuamos então o tema “Gerenciamento de Impressões” no que se refere às nossas atitudes. Além de garra, Angela sugere que tenhamos uma perspectivapositiva das nossas habilidades. Adicionalmente, pesquisas demonstram que um bom senso de humortambém ajuda muito as mulheres a minimizar ou superar os efeitos de estereótipos e também representa uma ferramenta poderosa para administrar a ansiedade ou o estresse (inclusive em relação a estereótipos de gênero).


Além de tudo isso também é importante lembrar que temos que preparar a nossa mente (seja através da escrita, da visualização, de fotos, da meditação, etc) e fazer aquelas “poses de poder” ANTES de realizarmos qualquer apresentação ou participarmos de reuniões. Lembrando que isso deve ser feito em momentos de preparação e nunca durante as reuniões para evitar “sofrermos” com os estereótipos. Mulheres que fazem isso antes de “desafios” têm comprovadamente melhores resultados tanto nas apresentações quanto nas reuniões.


Somando tudo o que foi dito acima com a autoconfiança(que também já falamos em outros encontros), estaremos munidas com excelentes ferramentas para gerenciar as impressões dos outros e evitar que soframos com os estereótipos de gênero.


Sobre autoconfiança, esta citação de Kimberly Foster é perfeita: “Siga a sua vida com a autoconfiança de um homem branco medíocre”.


Alguns exemplos de comportamentos não verbais negativos:

- parecer fraca: sem poder, com pouca autoconfiança e baixa competência. Exemplo: usar a voz baixa, usar muito “hummm”, “talvez”, “você não acha…”, postura caída, gestos inquietos com as mãos, ficar tocando nos cabelos, joias, etc.

- parecer dominante: porque isso nos associa ao estereótipo masculino. Exemplo: postura aberta, voz alta ou agressiva, manter contato visual constante e severo e movimentos abruptos.

- parecer falsa: que ocorre, por exemplo, quando não viramos o corpo em direção a quem estamos falando, parecer inquieta durante negociações/reuniões, olhar para outro lugar em vez de olhar para as pessoas.


Alguns exemplos de comportamentos não verbais positivos:

- voz: usar em altura moderada, sem mudanças extremas no tom, com poucas pausas/hesitações.

- linguagem corporal: usar uma postura aberta, com gestos calmos, suaves e não exagerados, se colocando um pouco à frente para escutar, sem parecer inquieta.

- olhos: contato visual moderado, não olhar para baixo ou para fora e, quando em grupo, procurar fazer contato visual com cada um da reunião.

- cabeça: deixar o queixo sempre levemente levantado para criar uma imagem de segurança.

- expressão facial: agradável com alguns leves sorrisos e demonstração de atenção.

- espelhamento: é muito importante porque gera identificação, já que funcionamos assim em razão do nosso viés de afinidade. O espelhamento seria como “copiar” a forma com a qual o interlocutor se comporta (fisicamente, verbalmente, o tom de voz, etc).


Além destes comportamentos não verbais listados acima, precisamos ter cuidado com algumas situações específicas, como, por exemplo:

- usar o caderno/laptop não para se “proteger” atrás dele (e evitar passar a impressão de insegurança), mas sim para ter mais espaço na mesa;

- apertar a mão de homens de forma firme e como forma de demonstração de que somos todos iguais;

- escutar e concordar com a cabeça deve ser feito de forma moderada;

- tocar: pesquisas demonstram que o toque de forma sutil e tranquila, pode ser positivo (respeitando sempre, obviamente as culturas);

- aparência: a nossa aparência interfere na forma como somos avaliados!


Esses cuidados são importantes não para tirar a nossa individualidade/autenticidade ou virarmos robôs, mas sim para que nós evitemos “sofrer” com as consequências oriundas de estereótipos.


Por fim, a Angela nos traz dicas de Networking, cujos elementos fundamentais seriam:

(i) Conexão genuína, que só conseguimos com a nossa presença real (sobre os nossos sentimentos, para que possamos perceber o outro);

(ii) Exercitarmos uma escuta ativa, empática e sem pré-julgamentos;

(iii) Sabermos que não existe fórmula ou to do´s que funcionem para todas as pessoas de forma igual.


Mas, como a Angela ressaltou, para o networkingrealmente funcionar, o nosso interesse no outro deve ser genuíno e deve haver uma real conexão emocional. Quando temos essa conexão, de forma verdadeira, o resto acontece de forma natural.


Assim fechamos o Módulo 3 (Superar os desafios) e partimos para finalizar o Módulo 4 (Prosperar ao darmos as mãos).


O Módulo 4 é dedicado a percebermos como nós somos todos conectados e o quanto as nossas necessidades humanas também o são. Mas, por outro lado, esse Módulo também tem como objetivo demonstrar que, apesar de estarmos conectados e de necessitarmos coisas muito semelhantes, as nossas experiências são muito diferentes umas das outras.


Angela inicia trazendo o conceito de Interseccionalidadede Kimberlé Williams Crenshaw:


Interseccionalidade é uma lente através da qual você pode ver onde o poder vem e colide, onde ele se entrelaça e se cruza. Não é simplesmente que há um problema de raça aqui, um problema de gênero aqui e um problema de classe ou LGBTQ ali. Muitas vezes essa estrutura apaga o que acontece com as pessoas que estão sujeitas a todas essas coisas.”


Angela começa por nos apresentar um triste vídeo que trata justamente da diferença de percepções e comportamentos das pessoas em relação a uma criança branca e uma negra.


Após muitas trocas entre nós e muitas reflexões, Angelanos apresentou ainda outros vídeos que falam sobre a importância da linguagem e do cuidado que temos que ter com determinadas expressões para que, mesmo que de forma inconsciente, estas expressões não nos diminuam: não deixe de ver esse e esse. Será que, depois de assistir, continuaremos nos chamando de “meninas”? 😊


E fechamos o nosso encontro falando sobre a importância do pertencimento, que nos energiza e nos preenche. E esses nossos encontros são exemplos claros de pertencimento!!

Pertencimento (belong) é o contrário de se encaixar (fit)! Se encaixar é buscar apagar as nossas singularidades para sermos aceitas, enquanto que, para pertencer, precisamos necessariamente buscar a nossa autenticidade. Pertencer não é buscar a perfeição! Até porque somos todas humanas e humanas erram!

Pertencer é o desejo humano inato de fazer parte de algo maior do que nós. Como esse anseio é tão primordial, muitas vezes tentamos adquiri-lo nos encaixando e buscando aprovações, que não são apenas substitutos vazios para pertencer, mas muitas vezes barreiras para isso.


Como o verdadeiro pertencimento só acontece quando apresentamos nosso eu autêntico e imperfeito ao mundo, nosso sentimento de pertencimento nunca poder ser maior do que o nosso nível de autoaceitação.” Brené Brown.


E finalizamos com algumas importantes reflexões que devemos fazer todos os dias das nossas vidas, das quais destaco as seguintes:


Suas asas são cortadas, mas, ainda assim, ela é culpada por não saber voar.” (Simone de Beuvoir). Vamos tentar nos culpar menos por problemas que não são nossos? 😊


Autoconhecimento não é garantia de felicidade, mas está ao lado da felicidade e pode fornecer a coragem para lutar por ela.” (Simone de Beuvoir).


Nunca duvide que um pequeno grupo de pessoas conscientes e engajadas possa mudar o mundo. De fato, sempre foi assim que o mundo mudou.” (Margaret Mead)


Eu nunca perco. Ou eu ganho ou aprendo!” (Nelson Mandela).


E se tem algo que eu posso afirmar aqui, sem sombra de dúvida, é o quanto eu APRENDI com esse Programa e com estas mulheres maravilhosas!!!!


E, antes de acabar, deixo aqui um vídeo sensacional que a Angela nos apresentou e que deveríamos assistir todos os dias para não esquecermos de que não somos loucas quando corrermos atrás dos nossos sonhos e nos expressarmos de forma autêntica!! 😊

Vida longa ao FemLeader! Vou morrer de saudades!

Comentarios


bottom of page