top of page

Programa Lideranças Virtuosas – Encontro Oficial 2: Debate sobre o Livro “Humility is the New Smart"


Hoje o encontro com os participantes do Programa Lideranças Virtuosas foi para debater o livro escrito pelo Professor Edward D. Hess (Professor Emérito da Darden Business School da Universidade de Virginia) e pela Katherine Ludwig (Diretora de Comunicação do Centro de Ciências Contemplativas da Universidade de Virginia).


O livro é fascinante e nos faz refletir muito sobre as competências necessárias para continuarmos relevantes no que os autores chamam de Smart Machine Age – SMA (Era das Máquinas Inteligentes).


Não é novidade que, com as novas tecnologias, o número de empregados tem se reduzido nas empresas, já que as atividades operacionais têm sido feitas pelas máquinas. Na SMA, as pessoas serão necessárias para realizar aquelas atividades que as máquinas não são (pelo menos ainda não!) capazes de realizar, ou seja, as atividades cognitivas, emocionais e comportamentais de mais alto nível. Isso exigirá que as empresas se tornem mais humanizadas em relação aos empregados que permanecerão, devendo focar no desenvolvimento humano com um imperativo estratégico.


E quais seriam as competências e os comportamentos necessários para que continuemos profissionalmente relevantes na SMA?


Os autores destacam 4 competências principais:

(i) Pensamento crítico

(ii) Pensamento inovador

(iii) Criatividade

(iv) Capacidade de estabelecer elevada conexão emocional com outras pessoas (para viabilizar a construção de relacionamentos e a colaboração).


Para alcançarmos tais competências, os autores destacam 4 comportamentos fundamentais:

(i) Aquietação do ego

(ii) Autorregulação dos nossos pensamentos e emoções

(iii) Escuta reflexiva

(iv) Orientação para os outros.


Desenvolver tais competências não é nada trivial, uma vez que não fomos treinados e educados para administrar as nossas emoções, identificar os nossos vieses e enfrentar o nosso “ego” e o “medo” (identificados pelos autores como os 2 fatores principais que nos impedem de atingir o nosso máximo potencial humano).


Na SMA, os autores defendem uma nova definição de inteligência – a NewSmart, que não é mais medida pelo quanto sabemos (quantidade), mas pela qualidade do nosso pensamento, do nosso aprendizado e pela nossa capacidade de conexão emocional com as outras pessoas.


Ainda, para termos sucesso na SMA, os autores defendem que temos que adotar uma postura baseada na humildade, que, em resumo, não significa pensar que somos menos do que os outros, mas sim pensar menos sobre nós mesmos.


Na visão dos autores, a humildade é o melhor caminho para alcançar a excelência humana justamente porque minimiza o nosso ego e os nossos medos e maximiza a nossa capacidade de pensar, aprender e nos conectar emocionalmente com os outros.


No que se refere às empresas, os autores defendem que elas precisarão construir ambientes de trabalho emocionalmente positivos, psicologicamente seguros e orientados à motivação intrínseca que premiem a humildade e as 4 competências e comportamentos fundamentais acima descritos.


Como líderes e exemplos que somos dentro das nossas organizações, tais comportamentos devem começar em nós! Nas palavras dos autores: “muitas lideranças que falam que precisam ‘mudar as suas pessoas’ precisam primeiramente se perguntar se elas estão dispostas a mudar a si mesmas”.


No século XXI precisamos compreender que não competiremos com os outros, mas sim com as nossas próprias limitações, com as nossas próprias mentes. As competências da SMA são atividades de equipe e, como tais, precisamos uns dos outros para podermos desempenhá-las da melhor forma possível.


Vários trechos me fizeram refletir muito durante a leitura do livro, mas esse foi o escolhido:


"Being good at not knowing and accepting the magnitude of our ignorance should help us be wary of overconfidence and reduce our defensiveness when others disagree with us or challenge the factual foundation or logical basic of our reasoning. Thinking like a scientist and treating our beliefs as hypotheses subject to modification by data likewise should make it easier for us not to identify so strongly with our beliefs and to be less defensive."


Este livro é realmente inspirador! Recomendo!

Comments


bottom of page